Closed Circuit

Transient

Este filme retrata o julgamento de um terrorista que está acusado por um atentado à bomba num mercado Londrino que matou 120 pessoas.

Tudo se centra à volta do julgamente pois os dois actores principais, Eric Bana e Rebecca Hall, formam a equipa de defesa, nomeado pela coroa Britânica, do réu. Para dar alguma emoção ao filme, Eles começam a descobrir que o terrorista está relacionado com o MI5 e eles os dois já tiveram uma relação amorosa que não ficou bem resolvida.

O realizador mostra durante o filme a força que as câmaras de vigilância têm no control da população. Por um lado é bom porque todos nós sentimos mais seguros, mas por outro lado é mau pois somos constantemente controlados e monitorizados. No desenrolar do filme as cenas em que aparecem as câmaras estão bem estudadas pois aparecem em situações que causam desconforto a quem está a ver. Eu senti uma espécie de revolta contra aquela monitorização toda. Parece o Big Brother.

O filme deve ter tido um orçamento muito baixo pois não existem grandes efeitos especiais e a imagem não tem a qualidade que os filmes de Hollywood mostram. Mas neste caso isso foi favorável pois dá mais realismo ao filmes, torna mais próximo da realidade.

O filme é médio mas tem um argumento muito interessante que permite perceber como tudo pode ser abafado pelas entidades com mais poder e dinheiro. Mostra de uma maneira muito explícita, como as pessoas ligadas à justiça funcionam quando tratam de assuntos delicados do estado e como fecham os olhos para deixar as coisas passar, sem nunca chegarem uma conclusão.

Eu pensava que estás coisas que acontecem regulamente em Portugal, para não dizer sempre, não aconteciam com tanta frequência em países desenvolvidos. Mas estava engando.

Se apanharem o filme no cinema ou na televisão e não tiverem nada para fazer, vejam!

In