A Fuga

Esta peça de teatro é muito engraçada, cómica e lembra os filmes do Guy Ritchie, Um Mal Nunca Vem Só, Snatch - Porcos E Diamantes, RocknRolla - A Quadrilha, e o filme Layer Cake. Tal como nestes filmes, o desenrolar da peça é uma surpresa muito grande.

Em primeiro lugar os actores são um luxo, Maria Rueff,  José Pedro Gomes, Jorge Mourato, João Maria Pinto (por momentos pensei que ia ter um papel aborrecido) e Sónia Aragão. Os dois primeiros acabam por ser os actores principais e fazem um excelente papel.

Tal como já referi em cima a peça está cheia de pequenas surpresas e pequenos detalhes no texto. Ao longo do argumento somos supreendidos com situações novas que começam a mexer com a nossa cabeça. E comecei a imaginar a minha história e o meu desenrolar, mas que no final batia meio certo... Uma surpresa muito boa no final.

A sinopse da peça mostra um conjunto de histórias malucas que se cruzam todas...

Um ministro demite-se na sequência de um escândalo de corrupção que lhe destrói a carreira política. A sua mulher foge com o jornalista que revelou o caso. O caos instalou-se na vida de Vicente Calado que considera tomar medidas definitivas quando uma vendedora ambulante lhe bate à porta.

Com uma vida dura, esta mulher é alegre e dinâmica. A força com que luta contra as adversidades diárias tornam-na diferente de qualquer outra mulher que conheceu. O seu encanto conquista-o, levando-o à esperança por dias melhores e à paixão.

Mas, esta mulher não vem só e, de uma só vez, Vicente conhece um marido violento e infiel, um pai paralítico e mudo e uma prostituta. Todos juntos, transformam-lhe a vida, fazendo-o protagonista de uma série de incríveis situações.

Nem tudo o que parece, é nesta comédia que apenas pode terminar de forma...surpreendente!

Vale a pena ver a peça!!! É muito engraçada e penso que a sinopse comprova o que disse...