The Dictator

Quando se junta Sacha Baron Cohen com Larry Charles o resultado é um filme provocador, estupidamente cómico, mas genial...

Desta vez o senhor Sacha Baron Cohen faz o papel de um ditador (o útimo ditador) que vai para o EUA, para fazer um discurso na ONU e tentar evitar um ataque ao seu pequeno país. Pelo meio da sua luta contra a democrácia, apaixona-se e tudo muda.

Como seria de esperar, ele goza com tudo e com todos... Desde os magnatas do petróleo que só tem e fazem coisas excêntricas, aos ambientalistas e liberalistas, ao governo americano e às várias espécies de democrácias que existem no mundo. O discurso final que ele faz sobre as maravilhas da ditadura encaixam perfeitamente nos EUA e muitas das coisas encaixam perfeitamente com Portugal.

Política à parte, o filme consegue surpreender a cada minuto que passa... Não sei como é que ele consegue, mas cada piada consegue ser melhor que a outra. É incrível!!! É um filme estupido, mas feito de uma maneira genialmente estúpida que se torna bom e de culto... Na minha opinião é melhor que o Bruno e Borat. Acho que desta vez ele superou tudo.

A personagem está muito bem construída e nenhum detalhe foi esquecido... Nenhum mesmo. Como é óbvio, o Sacha Baron Cohen faz um papel brilhante e digno de um óscar de melhor actor. É impossivel alguém entrar numa personagem também como ele... Dúvido que este ano, alguém seja tão marcante numa personagem como ele é neste papel. Para além dele, temos vários actores a participar no filme, Ben Kingsley, Megan Fox, Edward Norton, entre outros...

Uma boa lição do filme... TODA A GENTE TÊM UM PREÇO!!!!

A banda sonora é muito engraçada. Ele usa muitas músicas conhecidas, mas todas revistas por cantores indianos ou árabes. Uma espécie de covers das música... Uma das que gostei mais foi esta.

Um filme para toda a gente ver, em qualquer lado, com qualquer pessoa (desde que não seja muito conservadora) e de preferência em grupo. De 0 a 10 dou um 8.

In