Justice - Audio, Video, Disco

O segundo álbum desta dupla francesa é um luxo e uma re-invenção da música de dança!

Quando lançaram o álbum Cross, esta dupla fez um pequena revolução e aumentou muito a fasquia, pois era um álbum potente e muito cru. Para segundo álbum eles resvolveram mudar um pouco o estilo e apresentar uma sonoridade inspirada no rock dos anos 70.

Quando comecei a ouvir o novo álbum fiquei com a ideia que era uma continuação do anterior... As duas primeiras músicas são da mesma onda do álbum Cross, mas fazem a passagem progressiva para a nova sonoridade deles. A música Horesepower e o primeiro single Civilization são músicas fortes e potentes, mas com grandes arranjos de sintetizadores.

A música seguinte Ohio é a balada do álbum, no entanto, a meio da música entra um solo de sintetizador que me deixou arrepios na pele. Assim que ouvi este som, a minha cabeça viajou até aos tempos dos Led Zeppelin e imaginei uma pessoa cabeluda a solar numa guitarra... Este sentimento repete-se com amúsica Canon. Nesta música a bateria, o baixo e o sintetizador lembram uma banda rockeira a tocar. Acho impressionante como um duo da electrónica conseque transmitir este sentimento de banda rock, usando apenas sintetizadoes...

Gaspard Augé e Xavier de Rosnay são uns senhores!!!

Na música Newlands (coloquei no facebook a semana passada) fiquei com a ideia que estava a ouvir AC/DC porque o início é muito parecido, no entanto é feito com um sintetizador. Esta música e as outras todas tem uma construção e uma produção para serem tocadas por uma banda e não por uma dupla, e este factor faz-me gostar muito deste álbum.

Hoje em dia ouvimos muita coisa e é preciso ser muito diferente para chamar alguma atenção. Este álbum é incrivel pois traz o rock dos anos 70 para as pistas de dança, mas com um grande toque de modernidade. Agora algumas guitarras são trocadas por sintetizadores, mas a estrutura é igual e a força da bateria e do baxo mantem-se! Quando se produz música electrónica facilmente se criam músicas repetitivas. Com este álbum não sentimos isso, pois as músicas tem muitas quebras, solos de sintetizador completamente diferentes da restante música, tal como uma banda de rock faz.

Quando apareceram os 2manyDJs, o rock juntou-se ao Elektro e as pistas de dança voltaram a ouvir guitarras fortes com distorções, numa altura em que se ouvia muito house... Como o passar do tempo, o elektro morreu e as pistas voltaram a receber o tecno e o house. Com este álbum os Justice voltam a dar um lufada de ar fresco às pistas de dança, mostrando a direcção que a música de dança deve seguir...

Um dos melhores álbuns de 2011 e que irá ficar na história... Ou então fica esquecido por ser um pouco diferente do habitual, como já aconteceu com as novas músicas de MSTRKRFT (cheias de guitarras mas que não funcionam nas pistas de dança).

Para mim é um  bom álbum, dos melhores que já ouvi... EXCELENTE E RECOMENDO A TODOS!!!

Oiçam e Julguem!!! (download)

In