Mão Morta - Pesadelo em Peluche

 

O 14º álbum dos Mão Morta é muito bom e mantém a linha musical dos anteriores. Quem não se lembra destas grandes músicas "Budapeste" e "Cão da Morte".

Habitualmente, eu não ligo muito à letra das musicas, no entanto, este é um dos poucos grupos a que dou atenção. Mais ninguém faz rimas sobre voos de aviões e tufões, nem faz letras a descrever cenários de guerra ("Teoria da Conspiração". Uma das que gosto nos Mão Morta, é a voz e a maneira como o vocalista, Adolfo Luxúria Canibal, canta/recita as letras obscuras e negras.

Os Mão Morta já andam pelo mundo da música à 25 anos, e não é apenas pelas letras. Toda a parte musical que envolve as letras é igualmente boa. Esta tanto é escura e alternativa como as letras, como por vezes, dá um ar mais POP e mais colorido às letras negras do Adolfo Luxúria Canibal.

Este álbum é muito inteligente e conjuga muito bem, uma sonoridade rock (batidas rápidas e guitarras distorcidas), com uma sonoridade electrónica (muitos sintetizadores), com uma sonoridade mais negra e obscura, obtida com a voz do Adolfo Luxúria Canibal.

As músicas são muito boas, mas gosto muito da música "Como um Vampiro". Nesta música, a acompanhar a voz do Adolfo, temos a voz do mundo negro do metal, Fernando Ribeiro (vocalista dos Moonspell). Para além desta música, gosto muito da "Teoria da Conspiração", "Metalcarne" e "Estância Balnear".

Oiçam e Julguem!

In