PAUS @ Fade In 2010

Quando ouvi falar deste grupo fiquei curioso porque usavam uma bateria siamesa (na altura não sabia o que isso era), e porque era formada por elementos dos "Linda Martini", "If Lucy Fell", "Vicious Five" e "Riding Pânico" (nomes muito bons no nosso panorama musical e que gosto muito).

Em concerto percebi o que era uma bateria siamesa. Esta bateria é formada por duas baterias que partilham (ou seja é o mesmo) bombo e um prato. 

O resultado ao vivo desta bateria siamesa com estes dois bateristas, Hélio Morais e Quim Albergaria, é fantástico. Eles tocam muito bem e com uma agressividade e violência que deixam toda a gente do público fascinado. Eles dão imenso show-off a tocar e provocam calafrios com a violência com que manuseiam as baquetas (eu vi baquetas a partir durante o concerto). O som desta bateria enche as músicas todas e deixa quase todos os buracos preenchidos.

Outra coisa que achei estranho foi não ter uma guitarra. Mas durante o concerto percebi que não havia necessidade disso, pois o senhor Makoto Yagyu toca baixo como se tivesse uma guitarra nas mão (nunca tinha visto ninguém a fazer feedbacks com um baixo como ele). Este senhor e o teclista João "Shela" preenche o que resta da música, dando-lhe os pequenos toques e arranjos que fazem as músicas crescer ainda mais.

O resultado global é muito bom e impressionante! As músicas são muito boas e mesmo os gritos que eles dão se enquadram muito bem (as músicas não tem letras).

É pena ser um concerto tão curto, no entanto, quem vai ver um concerto deles percebe que os dois bateristas ficam cansados porque eles dão o tudo por tudo enquanto estão a tocar. Outro detalhe muito bom é o final do concerto... No entanto, não vou dizer nada para não estragar...

Recomendo o concerto a toda a gente, porque é muito original, mas para além disso, o resultado musical final é muito bom.

Visitem o myspace deles para conhecerem as músicas!

In