Ajustes Directos

O governo vai lançar um decreto de lei que permite adjudicar obras de construção até um valor máximo de 5.150.000,00€.

A lei antiga permitia ajustes directos de 5.000,00 €, o novo decreto que saiu no ano passado alargou o valor para 150.000,00€. E agora, contrariando o decreto já em vigor, vai aumentar para 5.150.000,00€.

Por um lado esta medida faz sentido porque impulsiona as obras e a indústria da construção (apesar de tudo, é uma indústria que mexe com muita gente), porque torna todo o processo de adjudicações mais rápido e menos moroso. No entanto, torna o processo mais susceptível de corrupção.

No ano em que vamos ter eleições, vai tornar todos as obras muito suspeitas, todos as adjudicações vão ser muito pouco transparentes, e muita gente vai encher os bolsos de dinheiro.

Será que o primeiro-ministro precisa de grandes apoios (pela porta do cavalo) para a sua campanha? Como a maior parte das câmaras é PS, será que é preciso mostrar obra antes das eleições?

Apesar de tudo, é preciso dinheiro para avançar com as obras... Coisa que o estado não tem!