O Senhor da Vela


Ultimamente, tenho acompanhado pela internet a regata “Transat 6.50”. Esta regata faz a ligação de Fort-Boyard em França até à Salvador Bahia no Brasil, passando pelo Funchal e Cabo Verde, num total de 7800 km a percorrer.

Para dificultar mais a situação, o barco é tem apenas um tripulante, o skipper, que não tem contacto nenhum com terra. Apenas tem um dispositivo de alerta GPS caso precise de ser evacuado.

Eu não sou grande amante de vela, apesar de adorar a Amercica´s Cup, mas esta corrida despertou-me a atenção por ter um português a participar, naturalmente desconhecido por toda a gente (não vou voltar a abordar este tema das importâncias a nival nacional). O skipper a envergar as cores nacionais é Francisco Lobato.

Depois de pesquisar alguma coisa sobre a regata, vim a descobrir que este português é um dos melhores a nível mundial, sendo um dos principais candidatos à vitória.

Outra coisa interessante nesta prova é que não pode existir contacto entre terra e os velejadores, ou seja, ninguém faz a minima ideia do que se está a passar. A única coisa que se sabe é a sua localização em tempo real, permitindo assim imaginar o que se está a passar.

Para terem a noção, visitem este site. Torna-se uma coisa super empolgante... Num momento o Francisco Lobato vai à frente por não sei quantas milhas, passado seis horas, ele está parado e ninguém sabe porque... será que se partiu alguma coisa, será que ele se aleijou? Ninguém sabe... É tudo suposições de quem escreve no site.

Da minha parte, estou completamente viciado, de 4 em 4 horas vou procurar actualizações... Nunca pensei ficar tão entusiasmado com um site.

Força Lobato!