Expedição ao árctico para ver os macacos


A expedição começou às 20 horas em minha casa. Seguimos pela famosa N1 em direcção a Lisboa, contando já com uma paragem em Rio Maior, na famosa tasca de renome “Ti Cristina”.

Quando chegamos à “Ti Cristina”, parei o meu carro ao lado dos camiões com a frente virada para a estrada. Uma questão de facilidade para executar manobras de saída. Depois de parar o carro dirigi-me para este tasco de renome com o Little Trouble Boy, e começamos a perguntar um ao outro quem é que tinha dinheiro, e nenhum de nós tinha mas pensamos em pagar com MB, sem stress…

Entramos na tasca e apenas estavam homens a comer bifanas e sopas de feijão. Eu dirigi-me para o senhor que se encontrava atrás do balcão e perguntei:

- Tem Multibanco?

Ele respondeu que não, fazendo uma cara estranha. Aposto que nesse momento ele e todos os clientes que nos ouviram pensaram: “vem estes putos da cidade e pensam que existe Multibanco em todo o lado… aqui damos valor às notas, de preferência bem gordurosas… São mesmo miúdos da cidade”.

Nesse momento eu e o Little Trouble Boy questionamos com uma cara de incrédulos:

- Não tem multibanco???? Como é que é possível???? Onde é o Multibanco mais perto????

A resposta: “Fica a 10 km daqui, é em Rio Maior”

Não respondemos, viramos as costas e viemos para o carro com uma tristeza enorme… Queríamos mesmo uma bifana da “Ti Cristina”.

A viagem seguiu normal até Lisboa, tirando um picanço com um Seat Toledo Gtd Tdi com letras todas vermelhas… Mas nada bate o Peugeot 307 Kite Edition.

Depois de comer uma bifana numa tasca em Alcântara fomos para o paradise garage ver o concerto.

O concerto foi simplesmente genial, do melhor que vi até hoje, e acreditem que já vi muitos concertos.

Uns miúdos de 20 anos no máximo, mas muito perfeccionistas com a música que tocam.

As músicas estavam ao mais alto nível, sempre com aquelas grandes guitarradas típicas de Artic Monkeys, uma bateria genial apesar de quase não se ver o baterista. Pela primeira vez vi um baterista sem palco. Eles são pessoas muito simples, sem grandes amplificadores, nunca trocaram de guitarras e sempre com uma conversa muito engraçada. Eles pareciam estar mesmo a gostar do público.

O ambiente estava engraçado, miúdos muitos novos mas todos com muito boa onda, o que originou um “mosh” e um “crowd Surf” muito Old School.

Resumindo, foi um concerto muito bom e espero que eles voltem cá outra vez. Um recado para todos os que não tiveram bilhetes. Para a próxima comprem logo, não vá esgotar outra vez :D

Depois do concerto fomos até ao bairro alto, e de seguida rumamos para Leiria, mas com a intenção de parar na “Ti Cristina”. Para grande desgraça, a “Ti Cristina” estava fechada… Uma verdadeira desgraçada.