Natal


Depois de passar mais uma meia-noite em família, apesar de este ano ser um pouco diferente, estou aqui no meu iglo mágico, a ouvir PLEJ, a tentar arranjar um PC, a pensar no que foi o Natal e no que ele se está a tornar.

Para variar as televisões passam filmes sempre e podemos passar o Natal todo agarrado a uma televisão e a comer pipocas :)

Uma coisa interessante, é que cada vez o Natal passa mais depressa… Ninguém espera pela meia-noite para abrir os presentes. Mal acabamos de comer o bacalhau vamos directos para árvore abrir tudo. Este ano ainda consegui “aguentar-me” e aguentar meu afilhado até às 23:30 porque estivemos a ver o Shrek 2.

Este ano fiquei fascinado com a prenda que dei ao meu afilhado. Ofereci um monopólio. Mas é incrível, porque o monopólio não tem dinheiro… Não tem notas de roxas de 5000 escudos, não tem euros! Tudo isto foi substituído por 6 cartões de crédito e uma máquina que faz a actualização do dinheiro. Simplesmente genial!

No final do dia 24 de Dezembro, depois de abrir as prendas e quando todos vão dormir, sinto sempre um pequeno vazio dentro de mim… Não sei descrever bem a sensação, nem sei explicar porque, mas começa-me a fazer a confusão ver toda a gente em ânsia pelas prendas e depois de as abrir, são colocadas em montinhos, ficam num canto e toda a gente vai dormir. Não sei porque mas é uma sensação muito estranha.

Mais uma vez se passou o Natal, espero que todos tenham tido as prendas que queriam, e espero que se tenham divertido muito.