O Aborto

Ao escolher este tema não pretendo exprimir a minha opinião nem defender as diferentes posições, apenas comentar diversos factos que tenho reparado.

Uma das situações a que tenho assistido neste últimos tempos, é que toda a gente quer que a questão do aborto seja moderada, o que é de louvar! No último referendo, acho que toda a gente se excedeu nas campanhas.

Uma das pequenas coisas que estou a reparar neste novo confronto é que as cartas estão a inverter-se, ou seja, as entidades que se afirmavam contra a despenalização do aborto estão agora a afastar-se, como por exemplo, a igreja resolveu considerar “o aborto não é um assunto religioso”, o que é normal, pois todos sabem qual é a posição da igreja neste tema. Pelo contrário, os movimentos a favor da despenalização do aborto, estão a ganhar pessoas de peso, como o primeiro-ministro e diversos ministros do governo, o que não aconteceu em 1998.

Outra coisa que tenho reparado é a confusão que estão a criar nas pessoas quando uns dizem despenalização e outros dizem descriminalização – definições: descriminalizar é deixar de ser considerado crime (ou seja, deixar de figurar entre o lote dos crimes previstos no Código Penal), despenalizar é ainda mais abrangente, é tornar lícito o que era ilícito (cedido pelo Dr PETZL).
Acho que quando chegar a altura do referendo devem explicar bem estas definições para não existirem confusões.

Depois de tudo o que se passou, ao voltarmos a falar do aborto, devemos considerar levar outra vez esta questão a referendo. Apesar de ser um processo caro, custa cerca de 5 milhões de euros e de normalmente existir um elevado número de abstenção, penso que deve ser o povo português a decidir esta questão e por uma simples razão. Se já se levou esta questão a referendo, devemos levar outra vez. Não tem lógica, numa altura considerarmos que deve ser o povo a decidir e depois noutra altura acharmos que deve ser o estado.

Mais uma vez, não pretendo exprimir a minha opinião sobre este assunto com este texto, apenas comentar uns factos que tenho achado interessante.