Eleições Presidenciais


Depois de um domingo em que não se fala de outra coisa, dois pequenos comentários. Primeiro a afirmação muito infeliz da dirigente socialista Ana Gomes, e interrupção do discurso de Manuel Alegre pelo actual primeiro-ministro José Sócrates.

Em relação a Ana Gomes, achei um discurso normal, acusando Alegre de ser responsável pela vitória de Cavaco (tem de haver um bode expiatório) - “Acho que Manuel Alegre, como um dos protagonistas da esquerda e como o candidato que corre à margem do partido e contra o candidato do partido naturalmente tem responsabilidades e não deve estar alegre neste momento”. No entanto, acho muito incorrecto ela dizer que: “Essas responsabilidades devem ser "apuradas nos órgãos próprios" e ter "consequências"… Penso que ela terá dito esta afirmação no “calor do momento”, porque estamos numa democracia, e se alguém acha que consegue fazer melhor sozinho do que com o seu partido, porque não há-de tentar? Manuel Alegre é livre de fazer o que quiser e não deve ser punido pelo partido por isso… Além disso, a candidatura de Manuel Alegre foi mais uma opção para o eleitorado de esquerda, assim quem não gostava do Mário Soares, podia votar no Alegre e continuava a votar contra o Cavaco, em vês de votar em branco. Embora me faça confusão, como é que se pode votar num poeta para presidente da república? (não que eu tenho alguma coisa contra poetas, mas para presidente da república?)

Outro momento mau, e que salienta que Sócrates devia escolher melhor as pessoas que o rodeiam, foi a interrupção do discurso de Manuel Alegre, que eu acredito foi sem intenção e foi sem querer… Aconteceu… :D
Mas será que ninguém naquela sala estava a ver televisão? Os 3 canais estavam a dar o discurso de Manuel Alegre e não houve ninguém que tivesse visto e tivesse dito alguma coisa a Sócrates? Deviam estar todos em volta das muletas do Sócrates… :)